sábado, maio 13, 2006

Classe Média

Esta é uma história exemplar, só não está muito claro qual é o exemplo. De qualquer jeito, mantenha-a longe das crianças. Também não tem nada a ver com a crise brasileira, o apartheid, a situação na América Central ou no Oriente Médio ou a grande aventura do homem sobre a Terra. Situa-se no terreno mais baixo das pequenas aflições da classe média. Enfim. Aconteceu com um amigo meu. Fictício, claro. Após o jantar. Onde fecharam um grande e lucrativo negócio, comemorado com muito uísque. Ele discutia com o sócio, dentre outras coisas, quem pagaria a conta lá no japonês. Resolvem rachar. E a proposta é feita.

Meu Amigo: - Não! Vou nada rapaz!
Amigo Dele: - Por que não?
M.A.: - Porque não.
A.D.: - Deixe de ser teimoso cara!
M.A.: - Não vou. Ta pensando que sou o quê?
A.D.: - Então ta bom. Não quer ir não vá. Não vou insistir.
M.A.: - Beleza!
A.D.: - Te pago uma dose, vai?
M.A.: - Não.
A.D.: - Uma garrafa!?
M.A.: - Não vou. Desista!
A.D.: - Por que não?
M.A.: - Já disse o porquê.
A.D.: - Não disse não. Só disse que não ia e pronto.
M.A.: - E não vou mesmo. Como é que você tem coragem de me fazer uma proposta dessas?
A.D.: - É um pedido desesperado! De um amigo!
M.A.: - Ta começando a apelar!
A.D.: - Nunca te pedi nada antes! Vai cara!
M.A.: - Pára com isso rapaz! Deu pra fazer chantagem emocional agora foi?
A.D.: - Por favor!
M.A.: - Que diferença faz se eu for?
A.D.: - Ahhh! Então você vai?
M.A.: - Não. Só quero saber por que você quer tanto que eu vá?
A.D.: - Eu já disse... É meio estranho, quer dizer... É minha primeira vez!
M.A.: - Hahaha! Fala sério? Deixe de besteira rapaz! Não vai morrer por isso.
A.D.: - O que foi? Vai me sacanear agora é? Se não quer ir não vá, mas não precisa sacanear.
M.A.: - Não cara! Não to sacaneando não... Hiiii! Ok! Você venceu!
A.D.: - Ok? Isso quer dizer que você vai?
M.A.: - Vou, pronto! Conseguiu! Eu vou com você.
A.D.: - Ok. Ta combinado. Nessa quinta-feira! Mas não vai contar pra ninguém!
M.A.: - Ok.
A.D.: - Hum! Pra falar a verdade, acho melhor eu ir sozinho.
M.A.: - Como? Você me convence a ir e agora quer ir sozinho? Nada disso, agora eu vou.
A.D.: - Não, tudo bem! É melhor você não ir mesmo. Eu vou sozinho. Acho que pegaria mal!
M.A.: - Ahhh! Agora eu vou sim. Depois de toda essa presepada!
A.D.: - Presepada? Você chama isso de presepada? Agora sou eu que não quer que você vá.
M.A.: - Que é isso rapaz?! Amigo é pra essas coisas! Vou sim.
A.D.: - É melhor não. Eu vou sozinho. Não quero que você pague mico lá.
M.A.: - Você que sabe! Se é isso mesmo que você quer? Vá lá!
A.D.: - É! Mas... Se você fosse junto seria menos constrangedor pra mim...
M.A.: - Ahhh cara! Bom! Se quiser esperar até semana que vem...
A.D.: - Semana que vem? Por quê?
M.A.: - É. É que... Bom... Acho melhor contar logo já que eu não sou o único...
A.D.: - Contar o que cara?
M.A.: - É que eu liguei ontem pra esse salão e marquei hora pra semana que vem.

Um comentário: